Governo de Goiás entrega 16 moradias rurais em Ipiranga e Rubiataba

Parceria entre Governo do Estado, União e Movimento Camponês Popular (MCP) prevê investimento de mais R$ 8 milhões, com contrapartida estadual de R$ 2,5 milhões, na construção de mais 178 moradias no campo. Investimento na melhoria habitacional fortalece produção rural

 

O Governo de Goiás, por meio da Agência Goiana de Habitação (Agehab), entregou na sexta-feira (17/09) 16 moradias rurais construídas nos municípios de Ipiranga de Goiás e Rubiataba, no Centro Goiano. A entrega foi realizada na Fazenda Córrego Cristal, na zona rural de Ipiranga de Goiás, com a presença do presidente interino da Agehab, Luiz Sampaio. Representante do governador Ronaldo Caiado, o secretário estadual de Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Tiago Mendonça, informou que o Governo do Estado tem olhar diferenciado para agricultura familiar. “Foi uma determinação do governador: faça seu trabalho voltado e planejado para a agricultura familiar. Um exemplo é o retorno do trabalho da Emater, 100% voltado para essa área”, destacou.

 

 “Quando assumi a pasta, ainda como vice-presidente da Agehab, fizemos uma força-tarefa para fazer caminhar esse projeto junto com o Movimento Camponês Popular (MCP). Fizemos reunião com 300 famílias e ficou definida a forma de destravar os processos e fazer acontecer. Hoje estou aqui para ajudar na realização desse sonho para 16 famílias, mas acredito que muitas outras serão beneficiadas. Esse movimento começou na minha cidade, em Catalão. É a realização de um sonho para mim também, porque sei o quanto a luta foi árdua”, contou Luiz Sampaio.

 

A presidente do MCP, Jéssica Brito, revelou que a entidade é a única que constrói moradia no campo em Goiás. “Agradecemos muito pela parceria da Agehab e Banco do Brasil. Sem eles, nada disso seria possível. Habitação rural é um desafio para todos nós. Casa tem simbologia maior no campo, pois tudo acontece na casa. Na cidade, as pessoas costumam retornar à moradia somente para dormir”, afirmou Jéssica.

 

A cerimônia de entrega das moradias foi realizada na sede da propriedade rural da dona de casa Ordalícia Maria de Souza, 62 anos, e do produtor rural José Gonçalves de Souza, 71. Nos fundos da antiga moradia, ainda existe a sede antiga, sem condições de habitação. “Aquele é meu passado. Agora este é o meu palácio”, entonou a dona de casa, orgulhosa da habitação, que conta com 80m2, três quartos e varanda. Agora ela diz que tem condições de receber com muito conforto os seis filhos e netos. “Temos essa chácara há 34 anos, mas a casa não tinha condições de habitação, então a gente acabou indo morar na cidade. Agora a casa na roça vive cheia, do jeito que a gente sempre sonhou. Todo final de semana é uma festa”, revelou dona Ordalícia.

 

Um dos outros 15 beneficiados, o agricultor Renato Martins, de 29 anos, trouxe à tona outro problema social que a chegada da habitação ajuda a solucionar. “Muitos jovens acabam saindo do campo por falta de incentivo. Uma moradia digna ajuda na manutenção desses jovens na produção rural. E agora que eu tenho uma casa, já estou pensando até em me casar. Daqui pro ano que vem, a gente se arranja”, disse Renato, assumindo o compromisso publicamente com a noiva Roseane.

 

As unidades habitacionais receberam investimento de R$ 225 mil do governo estadual, em parceria com o programa federal Casa Verde e Amarela/Programa Nacional de Habitação Rural (PNHR), que destinou R$ 470 mil para a construção das 16 casas (15 em Ipiranga e uma em Rubiataba). O investimento total foi de R$ 695 mil.

 

O convênio com o Movimento Camponês Popular (MCP), por meio da Associação dos Pequenos Agricultores de Goiás (Aepago), prevê moradias rurais para mais 178 famílias de 18 municípios: Alto Horizonte, Campo Alegre, Campos Verdes, Catalão, Crixás, Goiandira, Guarinos, Heitoraí, Jaraguá, Mara Rosa, Morrinhos, Orizona, Pilar de Goiás, Piracanjuba, Santa Cruz de Goiás, Santa Terezinha, Uruana e Vianópolis. Os recursos destinados pela parceria do Estado e governo federal são da ordem de R$ 8 milhões. O valor por unidade habitacional é de R$ 46.350,00, sendo R$ 15 mil aportados pelo Governo de Goiás. A entrega também contou com as presenças do superintendente regional do Banco do Brasil, Emerson José, do prefeito Alex Queiroz, e do presidente da Emater, Pedro Leonardo.

Utilizamos cookies essenciais e tecnológicos semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.